Gameficação e Aprendizagem Baseada em Games

Atualizado 9/7/20 por Denise Henry

Você consegue explicar a diferença entre Gameficação e Aprendizagem Baseada em Games (Games Based Learning - GBL)? Você sabe com o que se parece, que experiência oferece e o impacto nos alunos dessas duas abordagens? Embora ambas se refiram a aspectos dos games, elas funcionam de maneiras diferentes na prática na sala de aula.

Gameficação é uma estratégia de recompensa extrínseca que molda o comportamento do aluno em relação a um objetivo pessoal e às expectativas do professor. A gameficação estará presente sempre que um comportamento for incentivado. Escoteiros exibem distintivos nos seus uniformes para orgulhosamente mostrar as habilidades e competências adquiridas. Professores gameficam as salas de aula conferindo pontos que os alunos acumulam para conquistar reconhecimento social e prêmios. A gameficação coloca a conquista de objetivos nas mãos dos alunos, oferecendo recursos que mensuram progresso e recompensas significativas. Sebastian Deterding, pesquisador da Universidade de Hamburgo, nos encoraja a ir além dos aspectos motivacionais extrínsecos para "amplificar as motivações intrínsecas" em indivíduos quando o nosso objetivo é favorecer mudanças duradouras. Quando utilizamos games educacionais na sala de aula, nós observamos o aumento da motivação à medida que os alunos desenvolvem o ímpeto interno para atingir seus melhores resultados individuais.

Aprendizagem baseada em games bem concebida potencializa dois tipos de recompensa intrínseca: autonomia - o desejo de protagonizar nossas próprias vidas - e domínio - o desejo profundo de progredir e adquirir conhecimento profundo. Ambos estão presentes em games educacionais. Os alunos são empoderados com controle total sobre todas as suas ações do começo ao fim. Eles decidem quando e que tipo de ajuda precisam. Adquirir uma profunda compreensão da matemática exige uma mentalidade de crescimento e muitos alunos perdem a fé na sua capacidade de aprender, especialmente aqueles que têm necessidade especiais.

Games educacionais aliviam a pressão sobre os alunos para agirem rápida e corretamente em um ambiente de aprendizagem de baixo risco e no qual o próprio aluno determina o ritmo. Os alunos esperam cometer erros quando jogam games e não encaram esses erros como fracassos, quando podem tentar novamente e aprender dos seus próprios erros. Um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que não é ameaçador por si só não impactará o aprendizado. Os alunos devem reconhecer que a mecânica do game é desafiadora, mas não impossível de ser superada. Feedback instantâneo é fundamental para o progresso dos alunos. O sistema de feedback de um game é concebido especificamente para ajudar o aluno a progredir com base nos erros cometidos e no aprendizado que esses erros oferece. Os games são imediatos, relevantes e personalizados.

Durante anos, professores buscaram ativamente por games educacionais rigorosos para motivar os seus alunos a aprender matemática. Além de games rigorosos, professores querem oferecer aos seus alunos a melhor experiência de aprendizagem possível. Se um outro professor lhe pedisse recomendações sobre games de matemática, qual dos exemplos abaixo você recomendaria para esse professor testar com seus alunos?
  1. O aluno responde corretamente vários problemas de adição e ganha uma rodada jogando fliperama virtual. No próximo exercício, ele responde vários problemas de subtração corretamente para ganhar mais uma rodada jogando fliperama virtual. Quando ele responde 20 questões corretamente, ele ganham uma moeda para comprar trajes novos para o seu avatar.
  2. O aluno digita um adendo numa equação para mostrar quantos espaços ele precisam percorrer numa reta numérica para chegar a um determinado ponto. Quando ele responde corretamente, o seu avatar corre até o ponto que representa a adição e ele ganha a chance de fazer o seu avatar saltar para tentar quebrar uma pinhata virtual. O avatar não se move quando a resposta é incorreta.

Se você sugeriu B porque a opção oferece uma aprendizagem rigorosa inserida em um ambiente de game, você sugeriu um game educacional pedagogicamente robusto. A matemática deve sempre ser o fundamento da mecânica do game, não uma recompensa extra por ter respondido os problemas corretamente. O exemplo A representa uma recompensa pela resposta desejada e resolver problemas matemáticos corretamente não tem nada a ver com games.

Incluímos abaixo uma lista para você utilizar quando avaliar games educacionais para ter a certeza de que você está potencializando ao máximo a experiência de aprendizagem dos seus alunos.

Gameficação

Aprendizagem baseada em games (GBL)

Desempenho indicado por níveis, pontos, distintivos e medalhas

Exige aprendizagem ativa e oferece reinícios rápidos para tentativas mal sucedidas

Progresso claramente comunicado

Embute aprendizagem e prática numa mecânica de game e é alinhada como objetivos de aprendizagem específicos

Elementos podem ser embutidos em games e numa plataforma educacional

Sucesso é alcançável e o nível de dificuldade aumenta à medida que o game avança

Oferece reconhecimento social para conquistas

Oferece feedback imediato

Extrinsecamente recompensador

Intrinsecamente recompensador

Citações

Gamification and GBL Presentation to Unitec Dr. Paul Pivec

GAMIFICATION IN EDUCATION Gabriela Kiryakova1 , Nadezhda Angelova2 , Lina Yordanova3

Lee, Joey & Hammer, Jessica. (2011). Gamification in Education: What, How, Why Bother?. Academic Exchange Quarterly. 15. 1-5.


Como nos saímos?